Esforço de fiscalização reduz violência nas rodovias

Brasília, 06 de março de 2014 – Pelo terceiro ano consecutivo, a violência diminuiu nas rodovias federais no feriado mais crítico do calendário de operações da PRF, o Carnaval. Cerca de 10.000 policiais rodoviários federais trabalharam em esquema de revezamento durante o fim de semana prolongado, e realizaram 488 mil procedimentos de fiscalização. A Polícia Rodoviária Federal direcionou o esforço de fiscalização para os trechos mais violentos das Brs, e registrou uma redução de 9% no número de acidentes, de 16% na taxa de feridos e 6% no índice de óbitos. Entre zero hora de sexta-feira (28/02) e meia noite da quarta-feira de Cinzas (05/03), a PRF contabilizou, nos 70 mil quilômetros de rodovias federais, 3.201
acidentes, 1.823 feridos e 155 mortes.
Outros carnavais

De acordo com as análises estatísticas da PRF, as principais causas da violência no trânsito durante os feriados de Carnaval são: a embriaguez ao volante, a ultrapassagem proibida e o excesso de velocidade. Assim, o esforço de fiscalização focou nesses segmentos e também na fiscalização de motocicletas.

Cerco à embriaguez no feriado mais etílico do ano

Como resultado, 217.365 veículos foram fiscalizados, 69.251 testes de alcoolemia realizados e 201.391 pessoas abordadas, entre condutores e passageiros. Em consequência da fiscalização, 1.650 condutores foram autuados por dirigir sob efeito de álcool ou por recusa em soprar o etilômetro e 406 foram presos por crime de embriaguez ao volante.

As colisões frontais continuaram liderando o ranking de mortes, com 43% dos casos, em 61 acidentes. Isso decorre das ultrapassagens mal realizadas nas vias de pista simples, predominantes na malha federal. Depois vieram os atropelamentos (22 acidentes), colisões transversais (15 acidentes) e saídas de pista (14 ocorrências).

No Paraná, onde 25 pessoas morreram, a colisão frontal foi a causa de dois dos mais violentos acidentes de todo o período carnavalesco. O primeiro acidente aconteceu na tarde da terça-feira, 04, em Ponta Grossa, a 116 quilômetros de Curitiba, no Km 464 da BR-376. Seis pessoas morreram após a colisão envolvendo um caminhão e dois automóveis. Outro acidente foi registrado em Corbélia, a 501 quilômetros de Curitiba, na BR-369, em que quatro pessoas faleceram após colisão frontal.

Os estados de Minas Gerais e Bahia, que concentravam a maioria das ocorrências no Carnaval, apresentaram reduções históricas de 23% e 38% no índice de mortes, respectivamente. Minas Gerais alcançou um recorde nunca antes registrado: três dias (sexta, terça e quarta) sem mortes na maior malha viária do país.

Bloco dos apressadinhos

A fiscalização por radares de velocidade foi intensificada. A aquisição de 130 novos equipamentos somados aos que já estavam sendo utilizados flagraram motoristas dirigindo acima da velocidade permitida. As imagens comprovam a imprudência.

Análise da PRF

Na avaliação da Polícia Rodoviária Federal, o esforço governamental envolvendo União, Esta-dos e Municípios para fazer frente à violência no trânsito nas rodovias federais desde as comemorações de final de ano, férias escolares de janeiro e agora no Carnaval, ocasião em que milhões de brasileiros pegaram a estrada, refletiu no resultado. Noutra frente, os ministérios da Justiça, Cidades, Transportes e Saúde realizaram campanhas publicitárias de sensibilização, em todo o Brasil.

A Operação Rodovida cumpriu a sua última etapa neste feriado. Iniciada em dezembro de 2013, incluiu as operações de Natal e de Ano Novo finalizando com o Carnaval. A Rodovida teve como principal objetivo conscientizar os condutores de veículos sobre as seguintes infrações de trânsito: embriaguez ao volante, ultrapassagens proibidas, excesso de velocidade, fiscalização de motocicletas, incentivo ao uso do cinto de segurança e das cadeirinhas para bebês e crianças, buscando também, reduzir a gravidade dos acidentes de trânsito em todo o país.

FONTE: PRF (Polícia Rodoviária Federal)

Deixe um comentário